DICAS E NOTÍCIAS

Estudo mostra que cães obesos vivem cerca de 2 anos a menos que os saudáveis

Por REDAÇÃO CENÁRIOM

A obesidade já é reconhecida como doença pelos órgãos internacionais de saúde, não só para os humanos, como também para os animais.

A consequência dela nos cães podem ser diabetes, aumento da pressão, propensão a doenças cardíacas, baixa da imunidade, aparecimento de tumores, entre outros.

De acordo com um estudo feito pela Universidade de Liverpool, na Inglaterra, e pelo Centro de Nutrição e Bem-Estar Animal WALTHAM™, da Mars Petcare, do Reino Unido, o excesso de peso nos caninos pode, em geral, encurtar em cerca de dois anos e meio a vida do animal.

Para chegar às conclusões publicadas na revista científica Journal of Veterinary Internal Medicine, a equipe de investigadores analisou cerca de 50 mil cachorros das 12 raças mais comuns, atendidos nos Hospitais Veterinários BANFIELD, dos Estados Unidos, entre abril de 2014 e setembro de 2015.

Foram feitos os levantamentos de dados como raça, idade, se o animal era castrado ou não. gênero, além das condições do animal quando foram consultados e a data da morte.

As raças estudadas foram: Dachshund, Pastor Alemão, Golden Retriever, Labrador Retriever, Cocker Spaniel Americano, Beagle, Boxer, Chihuahua, Pit Bull Terrier, Pomerânia, Shih Tzu e Yorkshire Terrier.

Com isso, foi possível perceber que de fato há uma correlação entre excesso de peso e tempo de vida reduzido em todas as raças.

Porém, há uma diferença de proporção entre elas, variando entre cinco meses para os Pastores Alemães machos e dois anos e seis meses para Yorkshire Terriers machos.

Excesso de alimentação é vilão

O excesso de alimentação, apesar de não ser o único fator, é um dos principais problemas que levam os cães à obesidade, e muitas pessoas não se dão conta disso.

Em entrevista divulgada pela revista Science Daily, o co-autor do estudo, Alex German, declarou que os donos geralmente não conseguem identificar por si só a obesidade no seu animal e que a maioria considera que dar comida é uma forma de demonstrar afeto a ele.

Uma outra pesquisa, de 2018, conduzida pelo Centro WALTHAM™, constatou que 59% dos cães e 52% dos gatos em todo o mundo estão acima do peso. Porém, apenas 24% dos donos de cães reconhecem seu animal com excesso de peso.

Já o programa Better Cities for Pets concluiu que 54% dos donos de cachorros e gatos entrevistados costumam dar comida aos pets quando eles “pedem”. E ainda, 22% dos entrevistados admitiram dar comida a mais para mantê-los felizes.

A prevenção é sempre a melhor opção para garantir que o seu cão permaneça sempre saudável. Engana-se quem pensa que os animais não precisam de uma quantidade regulada de calorias diárias consumidas.

As doses de comida a serem oferecidas ao cachorro devem levar em consideração alguns fatores como o peso, tamanho, raça, sexo. o ideal é que se estipule uma quantidade junto com o veterinário.

Uma dica é comprar um comedouro para cachorro com tamanho proporcional ao que for oferecido.

Além disso, os cachorros precisam fazer exercícios físicos diariamente para se manterem saudáveis.

Por isso, é muito importante que se façam caminhadas diárias com os cãezinhos mesmo que no seu ambiente tenha grandes espaços como o quintal.

O hábito de fazer pequenos passeios auxilia também na saúde psíquica e emocional dos cachorros, porque eles precisam conhecer outros lugares e interagir com outros cãezinhos.

Fonte: cenariomt.com.br